Tipos de biocidas: oxidantes y no oxidantes

Tipos de Biocidas: oxidantes e não oxidantes

As condições de operação de qualquer instalação que utilize água para o seu funcionamento podem proporcionar um ambiente adequado, no qual os microrganismos podem crescer e multiplicar-se, uma vez que geralmente possuem aí os nutrientes necessários. A temperatura da água, as condições de pH, a concentração de nutrientes, a presença de oxigénio dissolvido, o dióxido de carbono, a luz solar, juntamente com grandes superfícies, favorecem o crescimento de microrganismos como protozoários, amibas, algas, fungos e bactérias, Incluindo a Legionella.

Os problemas surgem quando se permite que os microrganismos cresçam e proliferem excessivamente, o que pode levar à formação de biopelículas ou biofilme nas superfícies das instalações, que podem também ser agentes diretos de corrosão, ou podem formar depósitos que por sua vez, potenciam outras formas de corrosão. E, finalmente, todas estas problemáticas aumentam o risco de aparecemiento de Legionella , sendo um risco para a saúde das pessoas.

Tipos de biocida: oxidantes y no oxidantes           Tipos de biocida: oxidantes y no oxidantes

Por tudo isto, uma instalação sem controlo microbiológico adequado pode:

      1. Causar uma redução na transferência de calor;
      2. Albergar a Legionella e proporcionar um entorno para o seu crescimento;
      3. Induzir fenómenos de corrosão devido ao efeito de subprodutos do metabolismo nas superfícies metálicas, entre outros tipos de efeitos adversos nas instalações;
      4. Interferir com a eficácia dos inibidores de corrosão e de incrustação;
      5. Afetar a distribuição de água dentro das instalações.

Tipos de Biocidas oxidantes e não oxidantes

Os biocidas podem ser de dois tipos: oxidantes e não oxidantes

Biocidas oxidantes

São agentes capazes de oxidar matéria orgânica, por exemplo, material celular, enzimas ou proteínas que se associam a populações microbiológicas, resultando na morte de microrganismos.

As vantagens dos biocidas oxidantes prendem-se com o facto de serem facilmente analisados ​​no local; com o custo; e são fáceis de neutralizar para supervisão microbiológica, bem como em águas residuais.

As suas principais desvantagens são, que podem ser corrosivos e, particularmente no caso dos derivados de cloro e de bromo, a sua atividade biocida depende do pH e tem pouca penetração no biofilme. Um caso à parte é o dióxido de cloro, que não cumpre com estas propriedades para os derivados de cloro: a sua atividade biocida não depende do pH, não é corrosivo e apresenta poder de penetração no biofilme.

A eficácia deste tipo de biocida depende principalmente da dose utilizada, do tempo de contato, da temperatura, da concentração e do tipo de contaminação microbiológica presente na água e da qualidade da água a ser tratada.

Alguns exemplos destes Biocidas são:

Derivados do cloro

Hipoclorito sódico (Adicida H-70, Hipoclorito ADIC)

Hipoclorito cálcico (Adic 513)

Ácidos di ou tri Cloroisocianúricos (Adic 516)

Dióxido de cloro (Adic 519)

Derivados do bromo

Brometo de sódio ativado (Adicida B-4)

Bromoclorodimetil-hidantoína (Adic 512)

Hipobromito de sódio estabilizado (Adicida B-50)

Cloreto de bromo estabilizado (Adicida 145)

Outros

Ozono

Peróxidos/peracéticos

Biocidas não oxidantes

Um biocida não oxidante funciona por mecanismos distintos da oxidação, incluindo a interferência com o metabolismo e a estrutura da célula. Estes diferentes mecanismos podem atuar da seguinte forma:

    • Destruindo a parede celular;
    • Impedindo a respiração celular;
    • Impedindo a sua reprodução.

Os biocidas não oxidantes são geralmente mais estáveis ​​e mais duradouros do que os biocidas oxidantes, na água das instalações. Porém, a sua concentração vê-se reduzida através das perdas de água do sistema e pela degradação dos princípios ativos. Na sua grande maioria, os biocidas não oxidantes não são corrosivos e sua atividade também não depende significativamente do pH. E em alguns casos, apresentam uma grande capacidade de penetração no biofilme. Um programa de tratamento com biocidas não oxidantes pode ser reforçado com a utilização de dois biocidas em alternância ou simultaneamente. Em geral, são compatíveis com biocidas oxidantes e obtém-se um grande efeito sinérgico em algumas aplicações específicas.

Alguns exemplos destes biocidas são:

    1. Amónios quaternários (Adicida 182)
    2. Poliamónios quaternários (Adic 511)
    3. Fosfónios quaternários (Adiclene 1352M, Adiclene 1375)
    4. Isotiazolonas (Adicida W-128, Adiclean 128, Adicida 160, Adiclene 1352M, Adiclean 148)
    5. Compostos organobromados (Adicida 141, Adicida 140, Adiclean 141, Adiclean 140, Adiclean 148, Adicomplet M, Adicida 160)
    6. Aldeídos
    7. Compostos organosulfurados
    8. Iões metálicos
    9. Cloroidratos de biguanida

Aplicação de Biocidas em instalações, para tratamento de agua.

Para realizar um controlo microbiológico eficaz das diferentes instalações de tratamento de água, é fundamental a seleção otima dos biocidas. A seleção do biocida mais adequado para um determinado sistema depende de uma série de fatores:

    1. O tipo de instalação.
    2. A tipologia dos microrganismos presentes.
    3. O histórico operacional do sistema.
    4. O esquema hidráulico do sistema.
    5. A natureza do tratamento anti-incrustante e anticorrosivo.
    6. As características físico-químicas da água.
    7. As restrições ambientais.
    8. Temperatura de trabalho.
    9. A toxicidade do biocida para seus manipuladores do produto.
    10. O custo da aplicação do biocida.
    11. A possibilidade de realizar uma análise do residual de biocida de forma fácil e rápida.
    12. Normativa aplicável ​​ao uso da instalação e dos produtos de tratamento.

Um bom programa de manutenção da qualidade da água, definido para cada instalação em particular e para cada tipo de água, tem as suas especificidades e dificuldades. As empresas de tratamento de água são as que conhecem as compatibilidades entre os diferentes produtos a dosear e que podem conceber os tratamentos de água mais adequados, tendo em consideração os efeitos sinérgicos dos diferentes produtos e desta forma otimizar os tratamentos da qualidade físico-química e microbiológica da água.

Se necessitar de efetuar uma análise da qualidade da água, não hesite em pôr-se em contacto connosco. Temos uma ampla experiência no setor, e trabalhamos com os recursos mais inovadores do mercado.