Seguimento microbiológico em ETARI de indústrias do tomate

Seguimento microbiológico

As empresas agroalimentares geram resíduos indústriais com características muito particulares. Especificamente, as condições de vazadouro da indústria de processamento de tomate são muito variáveis, tanto em caudal como em carga, chegando a gerar condições muito particulares que selecionarão os organismos presentes nas lamas ativadas.

A Adiquímica em colaboração com o Grupo Bioindicación de Sevilla (GBS) realizou um estudo onde foram analisadas 3 amostras de lamas ativadas de 3 ETARI deste sector aplicando o valor do Índice Volumétrico de Lamas (IVL).
Através deste índice, a Adiquímica propõe a possibilidade de realizar um estudo simplificado das lamas ativadas, em função das carcaterísticas macroscópicas e microscópicas presentes, podendo provar que partilham condições biológicas comuns, entre as quais, a formação de flóculos de grande tamanho e o domínio do filamento Thiothrix sp.

Além disso, o valor do IVL está relacionado com a redução da percentagem Sólidos em Suspensão, DQO, DBO, Azoto e Fosforo, verificando-se na amostragem que existe uma grande disponibilidade de carbono solúvel, um déficit de azoto e fosforo e certa septicidade originada pela sobrecarga em campo, que parece ser a causa desta especificidade, que ocorre em condições de cultura monoespecífica, relativamente a esta espécie filamentosa.

A capacidade de crescimento exponêncial deste filamento e outras espécies filamentosas que podem ocorrer nas lamas ativadas, perante determinadas condições ambientais, requerem um controlo rigoroso do processo que a Adiquímica oferece, afim de evitar alterações graves na capacidade de decantação e por isso na perda da qualidade dos resíduos do cliente.

Conhecer todos os detalhes do estudo

Artigo publicado pela revista Tecnoaqua